NOTÍCIAS

Nielsen indica novo cenário para o varejo

  • 04/06/2014
  • Exposuper

Diretor do Instituto Nielsen, Olegário Araújo proferiu palestra na manhã desta quarta-feira (04.06) dentro da programação da ExpoSuper indicando um novo cenário para o varejo supermercadista catarinense e brasileiro, a partir de mudanças no comportamento dos consumidores captadas nas pesquisas que a Nielsen promove em todas as regiões do País. A principal influência para este novo cenário, segundo Olegário, sem dúvida é a taxa de inflação.

O executivo alertou a platéia de supermercadistas que o mercado pode esperar por um novo cenário que terá um aperto nas margens de lucro em função de um índice concorrencial mais acentuado por conta da diminuição das áreas de influência. Já o posicionamento do consumidor será mais criterioso.

O resultado de todas as categorias auditadas pela Nielsen teve até 2012 foi um processo de crescimento contínuo. Pela primeira vez em dez anos, de 2012 para 2013 houve uma interrupção deste crescimento.

- Agora em 2014 registramos inflação alta (faixa de 6%) com endividamento alto (cerca de 45%). Embora o desemprego seja considerado baixo (4,6%), essa combinação alterou o comportamento do consumidor. Ele está assim: quer manter o padrão conquistado até aqui e para isso vai fazer constantemente uma hierarquia de escolhas, as quais impactam o negócio supermercadista – disse Olegário.

O executivo deu uma pista de como funcionará este ranking de prioridades dos consumidores. Entre todas as categorias pesquisadas, a Nielsen apurou que a última a ser ´sacrificada´ em caso de necessidade será a de higiene e beleza.

Outra tendência dos estudos é uma mudança já captada pelos fabricantes. O crescimento da preferência de consumidores por embalagens maiores – e mais econômicas – de produtos. “Das 20 categorias de produtos top, 60% aumentaram as embalagens, sem descartar as opções anteriores”, assinalou.

 Olegário sinalizou também a força da modalidade de atacarejo, especialmente em regiões metropolitanas, que cresceu 9% entre 2012 e 2013, o maior índice entre todas as categorias pesquisadas. A Nielsen apurou que em 100 itens, 69 são mais baratos nestas lojas, que ele chama de “lojas-preço”.

Olegário finalizou sua apresentação com uma mensagem otimista.

- A Inflação alta é uma fase de turbulência e vai passar. O aperto significará a qualificação do consumo. Levará vantagem quem oferecer melhores opções de marcas não dentro uma única faixa, mas quem colocar na prateleira opções em faixas Premium, média e baixa. Existirá espaço para crescimento porque o consumidor tentará de todas as maneiras não abrir mão de seu padrão de consumo adquirido até aqui. Isso é uma certeza. A outra é que suas escolhas serão feitas com mais seletividade.